Contenido principal del artículo

Ana Maria Mauad
Universidade Federal Fluminense, Brasil
Brasil
Biografía
Silvana Louzada
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - IFRJ, Brasil
Brasil
Biografía
Luciano Gomes de Souza Júnior
Universidade Federal Fluminense, Brasil
Brasil
Biografía
Núm. 22 (2021): La historia de la fotografía en América Latina (siglos XIX y XX) , Artículos, Páginas 221-254
DOI: https://doi.org/10.24310/Fotocinema.2021.vi22.11713
Derechos de autor Cómo citar

Resumen

No Brasil, ao longo do século XX, as fotografias publicadas nas páginas de revistas e jornais modelaram um espaço público visual, em que fatos e fotos se conjugavam na narrativa dos acontecimentos. A cidade do Rio de Janeiro, capital brasileira até 1960, foi o espaço privilegiado para a institucionalização da prática fotográfica, pois nela se concentravam, desde o século XIX, os principais estúdios fotográficos, bem como as casas editoriais responsáveis pela circulação e comercialização de impressos.


Neste artigo abordamos os itinerários da fotografia pública no Brasil contemporâneo. Volta-se para a avaliação da produção de um espaço público visual, valorizando três momentos em que a prática fotográfica se consolida em espaços da imprensa semanal, diária e independente: as revistas ilustradas cariocas da primeira metade do século XX, com destaque para quatro magazines: “Careta”, “Revista da Semana”, “Fon-Fon” e “O Cruzeiro"; o fotojornalismo de jornais diários, “Jornal do Brasil” e "Última Hora”,  nos anos 1950 e 1960; e as agências de fotógrafos independentes das décadas de 1970 e 1980, como: Central, Angular, F4, AGIL Fotojornalismo, Fotocontexto, entre outras, atuando como importantes instrumentos de documentação dos movimentos sociais, e promovendo a consolidação produção independente, a prática de arquivo dos originais o controle sobre a publicação e difusão de fotografias. Compreende-se que em tais espaços forjou-se a fotografia pública como uma das dimensões da experiência histórica contemporânea que se apoiou na imagem técnica para plasmar seus acontecimentos. Com vistas a indagar sobre como em cada um desses domínios a história foi visualizada, propõe-se um roteiro que se inicia com uma breve consideração sobre fotografia pública e espaço público visual, seguida de uma reflexão sobre produção de notícias nos semanários ilustrados, passando pela inscrição dos acontecimentos no regime dos foto ícones e chegando à prática fotográfica independente.


Conceitualmente, compreende-se a prática fotográfica suas formas de ver, apresentar e representar o mundo social como experiência histórica fundadora do mundo ocidental contemporâneo. Os circuitos sociais  fotografía e seus usos e funções  multiplicaram-se em  uma economia visual sustentada na imagem técnica como dispositivo de produção de sentido social. Em termos metodológicos, utiliza-se da análise histórica da documentação primária que se encontra na base de dados da hemeroteca digital da Biblioteca Nacional do Brasil e nos arquivos do Laboratório de Historia Oral e Imagem da Universidade Federal Fluminense. A análise histórica complementa-se com uma avaliação das formas comunicativas e do poder de significação de quatro fotografias, destacadas de cada um dos períodos históricos analisados.

Detalles del artículo

Referencias

Azoulay, A. (2010). The Civil Contract of Photography. New York: Zone Books.
Bassanezi, C. (1996). Virando as páginas, revendo as mulheres. Revistas femininas e relações homem-mulher, 1945-1964. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
Castro, R. (2020). Metrópole a Beira Mar. São Paulo: Companhia das Letras.
Coelho, M. B. (2012). Imagens da Nação: brasileiros na fotodocumentação de 1940 até o final do século XX. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo; Edusp.
Hariman, R. and Lucaites, J. L. (2016). Public Image: Photography and Civic Spectatorship. Chicago/London: Chicago University Press.
Humberto, L. (1983). Fotografia: Universos e Arrabaldes (Coleção Luz & Reflexão). Rio de Janeiro: Funarte, Núcleo de Fotografia.
Linfield, S. (2010). The Cruel Radiance; photography and political violence. Chicago: University of Chicago Press.
Louzada, S. (2013) Prata da Casa: fotógrafos e fotografia no Rio de janeiro (1950-1960). Niterói: EDUFF.
Martins, A. L. (2001). Revistas em Revista: Imprensa e Práticas Culturais em Tempos de República, São Paulo (1890-1922). São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/Fapesp/Imprensa Oficial do Estado.
Magalhães, A. & Peregrino, N. F. (2012). A Fotografia no Brasil: um olhar das origens ao contemporâneo. Rio de Janeiro: Funarte.
Mauad, A. (2020). Flagrantes da “Hespanhola”: a epidemia de influenza na imprensa ilustrada, Rio de Janeiro, 1918. Brasiliana: Journal for Brazilian Studies, 9(1), 2-40. doi: 10.25160/bjbs.v9i1.119938
Mauad, A. M. (2005). Na mira do olhar: um exercício de análise da fotografia nas revistas ilustradas cariocas, na primeira metade do século XX. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 13(1), 133-174. doi: 10.1590/S0101-47142005000100005.
Mauad, A. M. (2013). Fotografia pública e cultura visual, em perspectiva histórica. Revista Brasileira de História da Mídia, 2(2). doi: 10.26664/issn.2238-5126.2220134056
Mauad, A. M., Louzada, S., & Souza Júnior, L. G. (2014). Anos 1980, afirmação de uma fotografia brasileira. In S. Viz Quadrat (Ed.). Não foi tempo perdido. Os anos 80 em debate. Rio de Janeiro, Brasil: 7 Letras.
Mira, M. C. (2001). O leitor e a banca de revistas: a segmentação da cultura no século XX. São Paulo: Olho d’Água/Fapesp.
Mraz, J. & Mauad, A. M. (Eds.) (2015). Fotografía e Historia en América Latina, Montevideo: CDF Ediciones.
Monteiro, C. (2016). A reorganização e a institucionalização do campo fotográfico no Brasil nos anos 1970 e 1980: entre fotojornalismo e fotografia documentária. In Schiavinatto, I. L. F., & Costa, E. A. (Orgs). Cultura visual e história. São Paulo, Brasil: Alameda.
Quadrat, S. (2014). Não foi tempo perdido: os anos 80 em debate. Rio de Janeiro: 7Letras/Faperj.
Ritchin, F. (2013). Bending the frame: photojournalism, documentary, and the citizen, New York: Aperture.
Rossler, M. (2007). Imágenes Públicas: la function política de la imagen. Barcelona: Gustavo Gilli.
Souza Júnior, L. G. (2015). Engajamento político e prática fotográfica no Brasil dos anos 1970 e 1980 (Dissertação Mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História–Universidade Federal Fluminense.
Vieira, L. A., & Leite, M. E. (2014). A experiência da reportagem na revista Realidade. Anagrama, 8(2), 1-13. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/anagrama/article/view/82359