Contenido principal del artículo

Ana Sabrina Ferreira
Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto
Portugal
https://orcid.org/0000-0002-8811-8075
Biografía
Diana Teixeira
Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto
Portugal
https://orcid.org/0000-0002-0063-4017
Biografía
Margarida Marta
Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto
Portugal
https://orcid.org/0000-0002-0439-6917
Biografía
Sara Barros Araújo
Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto
Portugal
https://orcid.org/0000-0002-9866-0060
Biografía
Vol. 6 Núm. 1 (2021), Investigación, Páginas 59-74
DOI: https://doi.org/10.24310/RevPracticumrep.v6i1.10194
Derechos de autor Cómo citar

Resumen

A creche é um contexto educativo onde se devem criar oportunidades de aprendizagem significativas na vida de bebés e crianças. Este artigo pretende dar ênfase a uma perspetiva pedagógica para a educação em creche, a perspetiva de Emmi Pikler, e ao seu contributo em processos formativos no âmbito da prática educativa supervisionada de um mestrado profissionalizante, em contexto português. Tem como objetivo descrever e analisar a experimentação do Triângulo de Pikler no âmbito de um estágio desenvolvido em contexto de creche, com atenção simultânea aos efeitos desta proposta pedagógica na experiência das crianças e na aprendizagem profissional de educadoras estagiárias.  Relativamente à primeira, são de destacar efeitos positivos ao nível da autonomia, interações e experiência emocional das crianças, enquanto, relativamente à segunda, salienta-se o contributo formativo no âmbito da observação contextualizada e participante, sensível e atenta, e da tomada de consciência das particularidades da ação profissional com crianças mais novas, sobretudo ao nível da assunção de um papel não interferente.

Citado por

Detalles del artículo

Referencias

Araújo, S. (2017). Perspetivas pedagógicas para a educação em creche: princípios convergentes e implicações para a prática. Cadernos de Educação de Infância, 112, 104-112.
Bakhurst, D., & Shanker, S. G. (Eds.). (2001). Jerome Bruner: Language, culture and self. Sage.
Bertram, T. & Pascal, C. (2009). Desenvolvendo a Qualidade em Parcerias – Estudos de Caso. Ministério da Educação.
Bogdan, R., & Biklen, S. (1994). Investigação Qualitativa em Educação - Uma Introdução à Teoria e aos Métodos. Porto Editora.
Bruner, J. (1999). Para uma Teoria da Educação. Relógio D'Água Editores.
David, M., & Appell, G. (2010). Lóczy, una insólita atención personal. (3ª ed.). Octaedro Editora.
El «Laberinto» Pikler (s.d.). Pikler-Lóczy: Eusksal Herriko Elkartea. https://url.gratis/GIHdx.
Estrela, A. (1990). Teoria e prática de observação de classes: uma estratégia de formação de professores. Instituto de Investigação Científica.
Falk, J. (2012). La estabilidad para la continuidad y calidad de las atenciones y las relaciones. In J. Falk (ed.), Lóczy, educación infantil (21-34). Octaedro.
Fochi, P. (2018). Pikler – Lóczy: A construção de uma pedagogia dos detalhes. In J. J. Oliveira-
Formosinho & S. Barros Araújo (Orgs.), Modelos Pedagógicos para a Educação em Creche. Porto Editora.
Fochi, P. S., Drechsler, C. F., Foesten, P,. & Cavalheiro, C. (2017). A pedagogia dos detalhes para o trabalho com bebês na creche a partir dos pressupostos de Lóczy. Olh@res, 5(1), pp. 35-49. https://url.gratis/FX1kw
Formosinho, J. (2013). A perspetiva educativa da associação Criança: Pedagogia-em-Participação. In Oliveira-Formosinho (Org.), Modelos Curriculares para a Educação de Infância – Construindo uma práxis de participação (pp. 26-54). Porto Editora.
Godall, T. (2016). Movimiento libre y entornos óptimos. Reflexiones a partir de un estudio com bebés. RELADEI -Revista Latinoamericana de Educación Infantil, 5(3), 79-90. https://url.gratis/BsBQt.
Kálló, V., & Vámos, J. (2014). Iniciativa, cooperação e reciprocidade – O tempo do bebé (2): O banho e o cuidado [DVD]. Associação Pikler-Lóczy da Hungria.
Laevers, F. (Ed.), Daems, M., Debruyckere, G., Declercq, B., Moons, J., Silkens, K., Snoeck, G., & Van Kessel, M. (2005). SiCs [ZiCo] – Well-being and involvement in care: A process oriented self-evaluation instrument for care settings – Manual. Brussels/Leuven: Kind & Gezin and Research Centre for Experiential Education - University of Leuven.
Latorre, A. (2008). La investigación-acción. Conecer y cambiar la práctica educativa. Editorial Graó.
Máximo-Esteves, L. (2008). Visão panorâmica da investigação-ação. Porto.
Mózes. E. (2016). La observacion en la Pedagogia PikLer. RELADEI – Revista Latinoamericana de Educación Infantil, 5(3), 27-35. https://url.gratis/HUhVC
Oliveira-Formosinho, J. (2001). A profissionalidade específica da educação de infância e os estilos de interacção adulto/criança. In Júlia Oliveira-Formosinho & João Formosinho (Orgs.), Associação Criança: um contexto de formação em contexto (pp. 80-103). Livraria Minho.
Oliveira-Formosinho, J. & Araújo, S. B. (2018). Modelos pedagógicos para a educação em creche. Porto Editora.
Pikler, L. (1994). The Development of Movement – Stages. In excerpt 'Peaceful Babies-Contented Mothers' by Dr Emmi Pikler. From the Sensory Awareness Foundation publication BULLETIN (Number 14/Winter 1994). https://cutt.ly/tnXQQjo
Roso, C. A. (2016). Sobre el equipamiento Pikler. RELADEI. 126-128. https://url.gratis/aL60h
Szoke, A. (2016). Autónomo, pero no abandonado a su suerte. El apoyo de la actividade autónoma en la escuela infantil 0-3. RELADEI – Revista Latinoamericana de Educación Infantil, 5(3), 41-46. https://url.gratis/UtDYO
Tardos, A. (2012). La mano de la educadora. In J. Falk (ed.), Lóczy, educación infantil (59-68). Octaedro.
Tardos, A. (2013). A herdeira de Lóczy. Revista Educação Infantil (1-4). Segmento.
Tardos, A., & Appell, G. (2013). A atenção do bebé ao brincar [DVD]. Associação Pikler-Lóczy da Hungria.